Tamanho da fonte: Diminui fonte Aumenta fonte
06/mai/2011

radiocirurgia no HC

Hospital é o primeiro da região a oferecer este tratamento

O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto realizou no dia 30 de março, a primeira radiocirurgia, em uma paciente de 40 anos de idade. A radiocirurgia é um dos mais avançados métodos de utilização da radiação, sem cortes, para tratamento de lesões cerebrais. O procedimento  foi realizado por uma equipe multidisciplinar formada por médicos, físicos, técnicos e enfermeiros do Serviço de Radioterapia do HC, também participaram do procedimento, médicos da neurocirurgia e radiologistas do Centro de Ciências das Imagens e Física Médica do HC.

 

Segundo o médico radioterapeuta responsável pelo Serviço de Radioterapia do HC, Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira, no Brasil, poucos centros oncológicos possuem tecnologias para realizar este tratamento. Este tipo de assistência aos pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) é oferecido no Hospital das Clínicas de São Paulo, Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hospital Boldrini de Campinas e Hospital de Câncer de Barretos. Esta iniciativa é inédita na região de Ribeirão Preto.

 

A radiocirurgia é feita em várias etapas, em um único dia. Primeiro são feitos exames de tomografia e ressonância magnética que indicam a posição exata da lesão cerebral. O planejamento terapêutico pode demorar até 8 horas.

 

"A radiocirurgia difere da radioterapia convencional pela possibilidade da liberação de doses de radiação em uma única aplicação. Não há necessidade de cortes cirúrgicos e pode ser realizada para tratamento de lesões cranianas profundas de difícil acesso com cirurgia. A localização exata da lesão a ser tratada é verificada através de um arco metálico fixado ao crânio do paciente, o que confere ao procedimento uma precisão milimétrica", explica o radioterapeuta, Prof. Dr. Felipe Amstalden Trevisan, responsável pelo tratamento da paciente que foi submetida ao procedimento.

 

Para a realização da radiocirurgia, o Serviço de Radioterapia do HC utilizou um aparelho de última geração que permite o tratamento de todos os tipos de câncer, incluindo os tumores cerebrais. É um Acelerador Linear adquirido pela Instituição em processo licitatório, com o valor de R$ 5,4 milhões.

 

O Prof. Harley de Oliveira considera que o início deste tratamento posiciona definitivamente o Serviço de Radioterapia do HC entre os serviços de radioterapia de alta tecnologia. "Com isso pacientes de nossa região passarão a usufruir de mais uma técnica terapêutica que visa o aumento das chances do controle da doença com redução dos efeitos colaterais", acrescenta.

 

O setor tem meta de tornar este procedimento uma rotina de serviço. Para isto, será necessário otimizar a equipe para esses procedimentos, conclui ele.