Tamanho da fonte: Diminui fonte Aumenta fonte
21/dez/2017

Centro de Reabilitação

Centro de Reabilitação: Reabilitar é reViver

Prestar atendimento a pessoas portadoras de deficiência física incapacitante e que necessitam receber atendimentos em diferentes programas de reabilitação, visando ao desenvolvimento de seu potencial remanescente, permitindo-lhe a melhor funcionalidade possível, dentro do permitido pela incapacidade apresentada. Essa é a missão dos 150 funcionários do Centro de Reabilitação do Hospital das Clinicas de Ribeirão Preto que completa 10 anos da inauguração do prédio.
"Hoje é um dia muito especial para todos nós que acreditamos que saúde é um direito humano fundamental" afirmou a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e docente  professora Linamara Batistella que esteve presente no evento de comemoração do CER, que aconteceu dia 12 de dezembro. Ela considera que o CER é um "centro que forma  profissionais de altíssima qualidade, que presta assistência de primeiro mundo e que está integrado em um processo de pesquisa que se compara aos melhores centros de reabilitação do mundo".
Em seu discurso, o professor Marcelo Riberto,  coordenador do Centro de Reabilitação, agradeceu a "todos aqueles que trabalharam na implementação do Centro de Reabilitação e também  às pessoas que vem trabalhando nestes anos para que tudo funcione e os pacientes sejam atendidos da forma mais eficiente e consigam melhorar sua qualidade de vida".
Também estiveram presentes na solenidade, o prefeito, Antonio Duarte Nogueira Junior; secretário de Saúde professor Sandro Scarpelini; superintendente do HCFMRP - USP, professor Benedito Carlos Maciel; diretor do Departamento de Atenção à Saúde, professor Antonio Pazin Filho e os ex-coordenadores do CER, professor Hélio Machado e professor Edgard Engel.

CER: Missão reabilitar vidas

Por professor Marcelo Riberto, coordenador do Centro de Reabilitação HCFMRP-USP e docente da FMRP-USP


O prédio de Centro de Reabilitação (CER) foi inaugurado em 14 de dezembro de 2007, no andar térreo das  instalações do HC Criança. Sua criação foi a consumação de desejos diversos na história da FMRP: por um lado, houve a intenção da disciplina de Ortopedia em criar um Centro de Reabilitação de traumatismos raquimedulares e uma estrutura de atendimento integral aos pacientes com afecções ortopédicas e em estado pós-operatório, enquanto; por outro lado, havia a intenção dos alunos em aprofundar seus conhecimentos e práticas no atendimento ao atleta, apoiado por vários departamentos.
Todavia, somente com a criação da rede de atendimentos em reabilitação do SUS, e a sua caracterização como centro de nível terciário para atendimento de casos complexos é que ficaram mais precisamente delineadas as características de equipe profissional, instalações e parque tecnológico necessários. Uma verba de R$ 3.000.000,00, obtida junto ao Ministério da Saúde - em 22/6/2004 - foi o pontapé para a efetivação do projeto iniciado em 1997.
Nestes anos de funcionamento, o CER passou por robustas modificações arquitetônicas, tendo sido alocado provisoriamente, no período de novembro de 2013 a julho de 2016, nas antigas instalações da creche do HCRP para então voltar à sua localização original. Nessa mudança, o CER atingiu seus 2.400 metros quadrados, ampliou seus consultórios médicos, áreas de atendimento multidisciplinar, modernizou a oficina de órteses e próteses e ainda passou a compartilhar sua estrutura com o Serviço de Ortopedia do HCRP. Além desses amplos recursos de atendimento, os laboratórios de Análise Computadorizada da Marcha, Dinamometria Isocinética, Podobarometria e de Ergoexpirometria são exemplos da tecnologia aplicada à avaliação clínica, reabilitação e pesquisa para as condições incapacitantes.
O CER esforça-se para oferecer o atendimento de reabilitação para pacientes acompanhados nas clínicas do HCRP, havendo rotinas de agendamento direto para a Unidade de Emergência, Centro Integrado de Reabilitação e Hospital Estadual de Américo Brasiliense. Além disso, alguns serviços especializados do HCRP possuem médicos que atendem no CER e participam dos programas multiprofissionais de reabilitação. Esta estratégia visa garantir a continuidade dos cuidados desde o diagnóstico até a reabilitação e potencializar os ganhos do tratamento cirúrgico, medicamentoso ou de procedimentos realizados, oportunizando ganhos ainda maiores para os pacientes.
O relacionamento com a rede do SUS esteve presente desde 2007, quando o CER já era reconhecido como referência terciária e passou a centralizar a dispensação de órteses, próteses e cadeiras de rodas nas regiões de Ribeirão Preto, Barretos  e Franca. A partir de 2013, o CER passou a ser o centro de referência de uma rede ainda maior de serviços de reabilitação, pois foram credenciados outros centros de nível de complexidade intermediários nessas regiões. A partir desse momento, o CER estabeleceu uma parceria com a DRS13 para a definição de atribuições para cada serviço participante da rede e criaram-se  rotinas de referência e contrarreferência em reabilitação. Em consonância com a organização proposta pela Secretaria Estadual de Saúde, o CER faz parte, desde 2010, da Rede de Reabilitação Lucy Montoro e tem posição permanente junto ao seu Comitê Gestor.
Atualmente, o CER conta com 150 funcionários, distribuídos pelas enfermarias, UTIs e ambulatórios do Campus e UE, além daqueles permanentemente alocados nas suas próprias instalações. São fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros de reabilitação, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, nutricionista, educadora física e optometrista, sem contar o corpo médico, administrativo, técnicos de órteses e próteses e equipe de suporte. Também fazem parte do atendimento no CER, os residentes de várias especialidades médicas e multiprofissionais, bem como aprimorandos e alunos de graduação, o que o caracteriza como cenário de ensino e de pesquisa.